Dia do Estudante, por Marconi Araújo

Dia do Estudante, por Marconi Araújo

Avante, ser cintilante Avança, vem triunfar! (I) Quem é que estuda, é aluno Curte frequência escolar Aprende até se esbaldar Aquele assunto oportuno? Este ser raro e tão uno É gente espetacular Ah, considero exemplar Que verdade retumbante Avante, ser cintilante Avança, vem triunfar! (II) Aluno vem do latim Deriva de “alimentar” Feito discípulo de um mar De imensidade sem…
Thiago de Mello – 90 anos

Thiago de Mello – 90 anos

Hoje, 30 de março de 2016, o poeta Thiago de Mello completa 90 anos de idade. Já tem um tempo que escrevi esses versos em sua homenagem, incentivado por Flávio Martins, editor de alguns de meus livros. A ideia inicial era publicá-los em um livro sobre o poeta, mas fixei a data de hoje como limite: se o livro não…
O Nascimento de Jesus – Dalinha Catunda

O Nascimento de Jesus – Dalinha Catunda

1 A narrativa que faço Não é minha invenção Pra contar já me benzi E fiz minha oração Peço a Deus discernimento Pra falar do nascimento De quem trouxe a salvação 2 Nas linhas de cada verso Cumprirei o meu papel Seguindo sempre a risca O tema desse cordel A vinda do Deus menino Sua saga seu destino Prometendo ser…
Botando Gás no Novembro Azul

Botando Gás no Novembro Azul

Foi através da Internet que vários poetas fizeram versos sobre o tema do "Novembro Azul". Tomei conhecimento do movimento pela coluna "Eu acho é pouco!", da poeta Dalinha Catunda, no Jornal da Besta Fubana. Uma estrofe de Ismael Gaião, outra de Dalinha. E logo outros poetas começaram a se ajuntar. Também mandei os meus. Depois, Dalinha organizou tudo. E o…
Quixadá, minha musa, minha paixão!

Quixadá, minha musa, minha paixão!

Quase não dormi. Num pastorear infindo da inquietude, esperei que a noite se fosse para o sol clarear, com intensidade, minha querida, e bela Quixadá, no dia de seu aniversário. Após tanta expectativa; depois de repassar muito do que as retinas fotografaram em mais de meio século de amor a esta terra, ao amanhecer, fiquei estático, sem saber como fazer…
Vicença Sofia ou O Castigo de Mãe – Patativa do Assaré

Vicença Sofia ou O Castigo de Mãe – Patativa do Assaré

Esse cordel chegou aqui pelas mãos do Ricardo Piau, irmão do poeta varzealegrense Mundim do Vale. É muito bom receber contribuições assim. Grato, amigo Ricardo! 1. Vô dá uma prova franca, falando pra seu doto: gente preta e gente branca, tudo é de Nosso Sinhô. Mas tem branco inconsciente, que querendo sê decente diz que o preto faz e nega,…
Turista sem dinheiro visitou Roma – Cícero do Maranhão

Turista sem dinheiro visitou Roma – Cícero do Maranhão

Sou turista contumaz Sempre com pouco dinheiro Montado no meu jumento Já passei por farofeiro Agora fui para Roma Dessa vez como romeiro Nesse cordel futurista Muito bom para leitura Mostrarei pra qualquer um Como foi minha AVENTURA: Viajar com pouca grana Mas de maneira segura Fiz um bom planejamento Pra chegar nesse lugar Levei mapa na sacola E caminhei…
Aflora a Liberdade – Dalinha Catunda

Aflora a Liberdade – Dalinha Catunda

* Já fui árvore nativa Crescendo bem natural Mas o machado da vida Em mim fez corte brutal Com sua poda inclemente Quis me fazer diferente Mas teimei em ser igual. * Por ter raízes profundas Presa a terra continuei E nos troncos decepados Ramagem nova espalhei De cada poda aplicada Saía revigorada Por isso me propaguei. * Florida reflorescida…
O Ladrão e o Político – José Augusto

O Ladrão e o Político – José Augusto

Eu cresci numa família Que dizia todo dia: – Pode andar remendado, Contudo nunca podia Andar sujo pelos cantos Essa era a filosofia. E também dizia que: – Tem um sujo que não sai Nem com água com sabão, Quarando dias não vai Ser limpo nem esquecido É o roubo, disse papai. Disso nunca esqueci. Como me lembro também De…