Viver na Roça é Assim – Carlos Aires

Viver na Roça é Assim – Carlos Aires

Às quatro e meia levanta Para cuidar da ordenha; Faz o fogo e lasca a lenha, Pra fazer almoço e janta, Vai para o roçado e planta, Feijão, milho, amendoim, Fava, batata e capim, Jerimum, alho e verdura, Pra que garanta a fartura, Viver na roça é assim. Joga milho no terreiro Para as galinhas e o galo, Bota reação…
Um país desenvolvido – Marcos Mairton

Um país desenvolvido – Marcos Mairton

Vendo hoje as notícias sobre o rebaixamento da nota do Brasil por uma agência de risco - uma dessas entidades internacionais que dizem quais são os países que merecem crédito - lembrei imediatamente de versos que escrevi em 2011. Naquela ocasião, muitos diziam que o Brasil havia chegado a um novo patamar de desenvolvimento. O país grande teria se tornado…
Poesia de Luiz Guimarães

Poesia de Luiz Guimarães

Dizem que agosto é o mês do cachorro louco. Isso me fez lembrar essa poesia de Luiz Guimarães, que não fala de um cachorro louco, mas de um cachorro feio. Não sei se o cachorro existiu, ou se era feio, mas a poesia é emocionante. HISTÓRIA D'UM CÃO Eu tive um cão. Chamava-se Veludo: Magro, asqueroso, revoltante, imundo, Para dizer…
Cordel de Cícero Bastos Melo

Cordel de Cícero Bastos Melo

Cicero Bastos Melo, conhecido como Cicero do Maranhão, nasceu em Caxias, Maranhão. Reside no Rio de Janeiro há mais de 50 anos. Contumaz frequentador (convidado), da Academia Brasileira de Literatura de Cordel (ABLC), já editou mais de vinte títulos de cordéis. Esta semana, para minha agradável surpresa, Cícero honrou este mundo cordel com a sua obra   Mote: “Há muito papo furado…
Saudoso Sertão – Dalinha Catunda

Saudoso Sertão – Dalinha Catunda

Do seu peito sertanejo Saiu um canto chorado Mais parecia um aboio Aquele canto rasgado Uma cantiga dolente Que na viola plangente Virava um triste recado. Meu amigo lhe conheço Seu nome é desilusão Já correu pelas campinas Montado em seu alazão Mas hoje o que lhe consola É dedilhar na viola A sua lamentação. A dor que bate em…
Pedido de Casamento Junino

Pedido de Casamento Junino

Em uma festa de São João, casamos de novo. Casamento de quadrilha, abençoado pelos amigos. Só não valia roteiro de noivo que tenta fugir e obrigado a casar pelo pai da noiva. Não fujo do casamento com Natália nem em festa de quadrilha - disse eu. - Em nosso roteiro, o pai dela pode ser contra, mas nós queremos casar…
ASCENDER e ACENDER

ASCENDER e ACENDER

Quem conhece o livro 100 DÚVIDAS DE PORTUGUÊS, em cordel, que escrevi em parceria com Geraldo Amancio, sabe que mostramos ali várias palavras de sonoridade parecida, que têm escrita e significados distintos. Por exemplo: INFLIGIR e INFRINGIR Como parece esse par. INFLIGIR é impor castigo, Pegar pena e aplicar. Enquanto isso, INFRINGIR Com certeza é descumprir, Transgredir, desrespeitar. INCIPIENTE, com…
Sobre Amores e Sementes – Marcos Mairton

Sobre Amores e Sementes – Marcos Mairton

Amores mal resolvidos Nunca morrem totalmente, Ficam só adormecidos Dentro da alma da gente. O seu sono se parece Com o sono da semente, Que, guardada, permanece Em seu estado latente, Mas basta cobrir de terra E regar suavemente Que a longa noite se encerra E ela acorda novamente.
O PROVITA em Cordel

O PROVITA em Cordel

No último dia seis, no evento "Diálogos pela Vida", promovido pela Secretaria da Justiça e Cidadania do Ceará (SEJUS), em parceria com a Escola Superior do Ministério Público do Estado do Ceará (ESMP), apresentei "O PROVITA em Cordel". O PROVITA, para quem não sabe, é o Programa de Proteção a Vítimas e Testemunhas Ameaçadas, que funciona nos diversos Estados brasileiros, com apoio…