Poesia de Dalinha Catunda

Poesia de Dalinha Catunda

NA TRAMA DA REDE

Na solidão do presente
No mundo modernizado
Felicidade aparente
Mostra o sorriso forçado
Faz sua fotografia
Mas sabe ou desconfia
Que seu roteiro é forjado.

Na selfie que se repete
O que mais sobra é dente
No face sempre aparece
Com sorriso permanente
Troca mil vezes de roupa
Trejeitos ela não poupa
Fingindo que está contente.

Nesta quimera das telas
Neste reino de ilusão
O jogo do faz de conta
Desnorteia a emoção
Pois tudo é só fantasia
Que a solidão alivia
Iludindo o coração.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *