Botando Gás no Novembro Azul

Botando Gás no Novembro Azul

Foi através da Internet que vários poetas fizeram versos sobre o tema do "Novembro Azul". Tomei conhecimento do movimento pela coluna "Eu acho é pouco!", da poeta Dalinha Catunda, no Jornal da Besta Fubana. Uma estrofe de Ismael Gaião, outra de Dalinha. E logo outros poetas começaram a se ajuntar. Também mandei os meus. Depois, Dalinha organizou tudo. E o…
Aflora a Liberdade – Dalinha Catunda

Aflora a Liberdade – Dalinha Catunda

* Já fui árvore nativa Crescendo bem natural Mas o machado da vida Em mim fez corte brutal Com sua poda inclemente Quis me fazer diferente Mas teimei em ser igual. * Por ter raízes profundas Presa a terra continuei E nos troncos decepados Ramagem nova espalhei De cada poda aplicada Saía revigorada Por isso me propaguei. * Florida reflorescida…
Poesia de Dalinha Catunda

Poesia de Dalinha Catunda

NA TRAMA DA REDE Na solidão do presente No mundo modernizado Felicidade aparente Mostra o sorriso forçado Faz sua fotografia Mas sabe ou desconfia Que seu roteiro é forjado. Na selfie que se repete O que mais sobra é dente No face sempre aparece Com sorriso permanente Troca mil vezes de roupa Trejeitos ela não poupa Fingindo que está contente.…
Cordel de Dalinha Catunda lançado na Feira do Crato

Cordel de Dalinha Catunda lançado na Feira do Crato

1 Este canto nordestino Que sai chorado do peito É lamento não tem jeito Presente no meu destino É um canto peregrino De quem deixou o seu chão Mas guarda no coração A saudade acumulada Daquela vida levada Nas quebradas do sertão. 2 O cheirinho de alfazema A cada irmão que nascia O capão que se comia Pois era este…